A ansiedade é um rotulo com que se embrulham estados emocionais diferentes que produzem comportamentos semelhantes.

Pode ser descrita como um estado de alerta, que leva alguém à expectativa de algo indefinido e que provoca uma reação defensiva

É como se a pessoa ficasse à espera de um inimigo oculto, que pudesse atacar a qualquer momento. E, por isso, passa a mobilizar grandes quantidades de energia, na tentativa de controlar alguma coisa que desconhece. Esse estado de alerta, entre outros efeitos, pode acelerar o metabolismo e causar alterações físicas, mentais e emocionais, alimentando o circuito da ansiedade.

A ansiedade está ligada ao medo de que aquilo que se espera não aconteça ou, ao contrario, de que aconteça aquilo que se teme.

Se você faz um roteiro na sua cabeça sobre como algo deve ser, como alguém deve se comportar, de que maneira uma situação deve se desenvolver termina por produzir a ansiedade na sua vida e gerar frustração.

Mais do que qualquer outro fator, a ansiedade é promovida por uma sensação de insegurança aliada à expectativa de que algo não aconteça conforme se espera. A expectativa é um passaporte para a ansiedade, uma vez que você não tem controle sobre nada, a não ser sobre sua atitude diante dos acontecimentos. Aceitar esse fato é o ponto de partida para neutralizar a ansiedade.

Compreendendo a ansiedade

Uma pessoa com medo de um porão escuro pode imaginar monstros e fantasmas com tanta força que chega a ver e a ouvir o que imaginação criou. Se, entretanto, acender a luz e iluminar o espaço, descobrirá que tudo não passava de fantasia.

Poderá, então, examinar e decidir o que fazer com os objetos que estiverem lá, fazer uma limpeza, pintar as paredes, trocar os móveis e transformar o porão num espaço agradável para relaxar, ouvir música, ler, receber amigos e manter sua privacidade. Mas, antes, precisará aceitar o medo e confrontá-lo, checando a realidade ao acender a luz.

Para falar com a ansiedade é preciso compreender o que está acontecendo internamente. Deixar a vida fluir, confiar que o universo é perfeito e que tudo o que acontece é o melhor que poderia acontecer libera a ansiedade.

Ao pensar desta forma, você evita preocupações com o que ainda não aconteceu, já que o desejo de prever o futuro é uma das maiores causas de ansiedade.

Assim como um agricultor não questiona nem briga com o fato de a semente crescer no interior da terra e ter seu tempo para brotar e crescer até a época da colheita, você também pode deixar a vida acontecer.

Sintomas da ansiedade

O ansioso costuma se perder nas emoções, ficando á deriva numa torrente de pensamentos repetitivos. Com isso, sente aumentar a sensação de não ter controle sobre a própria vida e termina por submergir no medo.

Em geral, é alguém que fala demais, transpira excessivamente, tem gestos agitados e tiques nervosos. Ou, ao contrario, contrai-se na imobilidade, deixando de interagir com as outras pessoas e paralisando-se diante dos acontecimentos.

O ansioso em geram apresenta comportamentos compulsivos, como comer demais ou não comer nada. Costuma ser tenso, apresentar dificuldades de concentração, irritabilidade, entre outros sintomas. Isso acontece porque, muitas vezes, a ansiedade anda de mãos dadas com estados emocionais desequilibrados. E a pessoa torna-se responsável por aumentar o próprio desconforto ao se deixar dominar pelo medo e pela insegurança, ficando aprisionada numa rede de dúvidas e incertezas.

Comportamentos que reforçam a ansiedade

Querer apressar os acontecimentos. Ficar se julgando ou se criticando por ações passadas que não podem ser mudadas. Preocupar-se com algo que ainda não aconteceu. Tentar prever o que acontecerá, ou o que alguém vai fazer. Alimentar sentimentos de culpa.

Todos os pensamentos e atitudes de negação do seu próprio poder e de seu valor criam e promovem a ansiedade

Como transformar a ansiedade

A maneira para lidar com isso é reconhecer o que está presente e aprender a administrar as emoções.

A primeira coisa a fazer é recuperar o poder sobre si mesmo. É preciso ter uma atitude nova diante dos seus velhos padrões de pensamento. Isso permitirá que se coloquem em pratica maneiras eficazes de lidar com as causas da ansiedade.

Em vez de se deixar levar pelos pensamentos e pelas emoções que produzem desconforto e inquietação, você pode selecionar os pensamentos e as emoções que deseja alimentar. Ter como lema: se ocupar para não se preocupar.

O melhor a fazer, quando perceber que alguma coisa está fora de lugar, é observar sem julgamentos, apenas tornando consciência do que está acontecendo dentro de você e que efeitos está produzindo sobre suas emoções.

Pode ser que você se depare com o medo de não ser merecedor de amor ou das realizações que busca. Pode ser que o seu medo seja o de não ser capaz de fazer o que precisa ser feito numa determinada área da sua vida.

A vida está constantemente apresentando novas e melhores oportunidades para que você alcance o que deseja. Portanto, se falhou em alguma coisa, se mão alcançou os resultados que queria, mantenha seu propósito firme, realize as ações necessárias e chegará lá.

A ansiedade não está no aqui e no agora. Aprenda a ver todas as circunstancias como ferramentas para criar e experimentar uma vida plena. A única forma de se criar um futuro radiante é viver o presente de forma radiante.

Exemplo:

Hugo era dessas pessoas que conseguem transformar boas noticias e oportunidades em sofrimento. Desde pequeno perdia o sono e se afligia, imaginando que alguma coisa poderia dar errado na sua festa de aniversário. Enquanto seu irmão gêmeo se divertia ajudando a encher balões e enfeitando a mesa, Hugo roia as unhas, duvidando se os amigos iriam se lembrar do horário, se viriam mesmo etc. na adolescência, transformou-se num garoto bonito que atraia as meninas com facilidade. Mesmo assim, ficava ansioso antes de um encontro e se preocupava com tudo, como se quisesse antecipar problemas e encontrar soluções antes de acontecerem. O mais curioso é que seus temores não se justificavam, pois o que ele sentia não acontecia.

No ultimo ano da faculdade, ele começou a fazer entrevistas de trabalho. Dificilmente alguém imaginaria o rapaz inteligente e divertido que parecia tímido e inseguro, ao responder as perguntas que lhe faziam.

A ansiedade se tornara um padrão habitual em sua vida e Hugo começou a comer demais, beber demais, fumar para tentar amenizar a sensação de estar a beira de uma catástrofe. O fato é que ele pensava obsessivamente sobre detalhes e fatos dos quais não tinha controle.

Quando completou 25 anos, estava sofrendo de insônia, dores de cabeça, tinha colesterol alto e estava muito acima do peso. Como acontece em tantos casos, foi preciso chegar ao limite para que ele tomasse uma atitude. Quando procurou uma clinica especializada em distúrbios do sono, os exames constataram que Hugo não relaxava.

O hábito de antecipar problemas impedia que ele vivesse o presente. Era como se sua vida não existisse, já que ele estava adiante do aqui e do agora, num futuro imaginário. Entre outras descobertas, Hugo se deu conta de que se preocupava excessivamente com os outros, mas ignorava a si próprio.

Sua necessidade de agradar fazia com que mantivesse a atenção voltada para fora, sem saber o que importava de fato para ele. Procurou uma terapia e começou a trabalhar os comportamentos que conhecia como ansiedade. Com o apoio de um trabalho corporal e de meditação, aprendeu que o que vinha fazendo pela vida era projetar seu medo nas situações externas.

Passou a se aceitar e a aceitar o fato de que não existem garantias na vida. Descobriu que todas as realizações envolviam algum tipo de risco e que os vencedores eram aqueles que faziam dos erros trampolins para a vitória. Como resultado desse processo, passou a viver os desafios com naturalidade, consciente de que eles são parte da vida.

Hugo adquiriu clareza sobre seus valores, suas qualidades, seus talentos e também sobre suas limitações. O fato de errar não fazia mais com que se sentisse errado, mas ao contrario o fortalecia para acertar na próxima vez. Sua auto-estima cresceu, ele passou a viver com mais paz e alegria, para surpresa do gêmeo, que continuava sendo seu melhor amigo.

Neutralizar a ansiedade é…

  • Fazer a sua parte da melhor forma possível, em todas as situações. De o seu melhor e relaxe.
  • Em vez de se preocupar, se ocupar.
  • Manter-se vigilante. A observação interna permite que você reconheça quando um padrão antigo e negativo quer se manifestar. Ao perceber o que está se passando, você pode mudar de direção e não permitir que a ansiedade se instale.
  • Parar de pensar no que tem de fazer. Dê o primeiro passo e comece. Isso movimentará a energia necessária para continuar até o fim.
  • Aceitar o novo com entusiasmo, confiando que você pode lidar com o que quer que aconteça.
  • Programar seu dia com atividades que sejam prazerosas e desafiadoras. Aprenda uma língua estrangeira, toque um instrumento, faça atividades físicas, pinte, descubra e desenvolva novos talentos.
  • Cuidar da saúde. Atenção com os alimentos que colocar em seu corpo ajuda a cuidar da seleção dos alimentos com que nutre suas emoções e pensamentos.
  • Fazer coisas boas para si próprio, ainda que pareçam insignificantes.
  • Completar o que iniciou. Sua mente inconsciente fica á espreita dos compromissos ainda não cumpridos. Isso inclui a leitura de um livro, a arrumação da casa, ou qualquer projeto profissional ou pessoal. Se achar que não vale mais a pena, dê a coisa por concluída para que aquilo possa sair da relação de “pendências”.
  • Buscar informações para avaliar uma situação. O conhecimento das diferentes opções que se tem para lidar com algo aumenta o numero de escolhas disponíveis para se sair bem no que quer que seja.
  • Aceitar as condições em que se encontra exatamente como elas são assumindo a responsabilidade de fazer o melhor com o que tem agora.
  • Confiar na sabedoria infinita do universo. Confiar na vida, sabendo que tudo o que acontece é para o seus Bem maior, ainda que você não possa ver isso num primeiro momento.
Aprenda como lidar com a ansiedade e o nervosismo excessivo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *