Durante um seminário apresentado numa convenção de revendedores de veículos, um dos oradores deu o seguinte conselho aos gerentes de vendas: “Tudo o que vocês têm que fazer para sair de um período de marasmo nas vendas é ensinar seu pessoal a repetir com mais frequência o bom desempenho que eles mesmos já demonstraram.”

O orador colocou em cena um problema intrigante: “O que leva os membros da equipe a esquecer de suas próprias vitorias e as habilidades que os tornaram grandes vendedores?

O Dr. Norman Vincent Peale certa vez disse que todo problema contém a semente da própria solução. Interpretando a frase por outroSucesso nas vendas angulo, podemos afirmar que todo sucesso carrega a semente do próprio fracasso.

As pessoas tendem a acreditar que o sucesso só pode gerar mais sucesso, mas a verdade é que ele também pode levar à autocomplacência e a arrogância, reduzindo assim o impulso competitivo. E, quando ele chega rápido demais, pode partir com a mesma rapidez. Lembro-me do caso de um vendedor que, em apenas um ano, ganhou 1 milhão de dólares em comissões. Quatro anos depois, ele mal chegou aos 30 mil dólares e perdeu a casa, a família e o amor-próprio.

Na época em que ganhou 1 milhão, centenas de pessoas o procuravam, ansiosas por conhecer sua história de sucesso. Passado tão pouco tempo, só os credores tinham interesse nele.
Charles Givens, autor de Wealth Without Risk (riqueza com risco), uma vez disse que só depois de perder tudo o que possuía (ele foi da riqueza à miséria duas vezes) percebeu que é mais fácil ganhar dinheiro do que mantê-lo. Parece evidente que atingir o sucesso é muito menos desafiador do que permanecer nele.

Existem muitos vendedores que vencem, ano após ano, o desafio do sucesso contínuo. Um bom exemplo é Zig Ziglair, provavelmente o treinador em vendas mais conhecido nos Estados Unidos nos dias de hoje. Zig se mantém em excelente forma física, escreve um Best-seller após o outros, e ainda produz programas de treinamento em áudio e vídeo cada vez mais interessantes. Nos últimos 35 anos, Zig tem sido um modelo de crescimento continuo e sucesso.

Há três fatores que, em conjunto, fornecem a matéria-prima para perpetua o sucesso: a conscientização das leis do sucesso, o compromisso com o crescimento continuo e a disposição para continuar aprendendo e aprimorando suas qualificações.
Erik Erikson caracterizou o conflito básico do crescimento como um embate entre a criatividade e a estagnação. A estagnação leva ao enfraquecimento de nossas habilidades. As pessoas que se deixam estagnar tornam-se tão autocentradas que acabam não querendo ou não conseguindo aceitar novos desafios. Constroem a ilusão de ter “chegado lá” e se acham no direito de serem seguidas e admiradas.

A criatividade, por outro lado, é o impulso de renovação, é a ânsia por crescimento e a necessidade de se atingir o próximo estagio. Enquanto a força da criatividade nos faz avançar e crescer; a estagnação interrompe o crescimento e leva a decadência.

Sabemos que há limites para o crescimento, assim como o desgaste de nossas habilidades só pode ser impedido até certo ponto.

As pessoas que aprenderem a dar continuidade ao próprio sucesso souberam ignorar limites e se concentrar nas oportunidades.

Somente quando nos mantemos sintonizados nas novas oportunidades conseguimos percebê-las e aproveita-las. Um sábio uma vez disse que há apenas uma opção. “Se você quer roçar a vida adiante, é melhor incluir o crescimento em seus planos.

A parte mais difícil do sucesso é continuar sendo um sucesso.
Irving Berlin

É possível ter sucesso sempre?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *