Empurre sua vaquinha – Vídeo Motivacional para seu sucesso pessoal e profissional!

SE NÃO ESTIVER VENDO O VÍDEO ACIMA CLIQUE AQUI E O ASSISTA NO YOUTUBE!

O vídeo acima deve ser visto por todos aqueles que desejam mais da vida, seja a nível pessoal ou profissional. Todos nós em algum momento da vida sentimos dificuldade em sair de nossa zona de conforto, nos acomodando a alguma situação que não nos oferece muito, mas promove certo nível de segurança que temos dificuldade em largar. E é ai que mora o perigo, tememos tanto perder essa segurança que perdemos a motivação para procurar algo melhor para nossas vidas.

No vídeo vemos a historia de uma família que vive a triste situação de depender das migalhas que sua única fonte de renda lhe proporciona, mas não se sente motivada em procurar uma forma de prosperar na vida !

É ai que entra uma dupla de monges e causa uma reviravolta na vida dessa gente!.

Clique no vídeo ou se preferir leia a história logo abaixo que conta o drama de uma família que dependia apenas de sua milagrosa vaquinha!

vaquinhaConto Motivacional – Empurre sua vaquinha

Um velho monge e seu discípulo costumavam visitar as pessoas que moravam em vilarejos distantes da cidade. Num dos seus passeios, já estava anoitecendo e eles ainda estavam no meio de uma estrada, distantes do vilarejo para onde se dirigiam. Avistaram um sítio, aproximaram-se e pediram pousada durante aquela noite.

O sítio era muito simples. Ali, viviam um casal de aparência humilde e seus três filhos, pequenos, raquíticos. A pobreza do lugar era visível e, mesmo assim, eles acolheram, de bom grado, a dupla de viajantes.

Durante o jantar, onde fora servido mingau de leite com farinha, o mestre indagou:

“-Neste lugar não há sinais de comércio ou de algum trabalho. Também não vimos nenhuma plantação. Como vocês sobrevivem aqui?“

O dono da casa respondeu:

“- Meu amigo, nós temos uma milagrosa vaquinha, que nos dá vários litros de leite todos os dias. Uma parte desse leite nós vendemos ou trocamos na cidade, por outros alimentos ou coisas que necessitamos. Outra parte fazemos queijo , coalhada, pirão e, assim, vamos sobrevivendo. Não sabemos plantar, também acho que essa terra não dá nada e tudo aqui é muito difícil. Ai de nós se perdemos a nossa vaquinha!“

De madrugada, os dois receberam um copo de leite quente. Em seguida, agradeceram a hospitalidade e foram embora. Assim que sairam do sítio, o mestre ordenou ao discípulo que ele pegasse a vaca e a atirasse num precipício. O jovem, surpreso, não só se chateou como ficou revoltado com a atitude desumana do seu mestre:

” -Como podemos destruir a única fonte de sobrevivência dessa família?”.

Relutou um pouco, mas limitou-se a cumprir a ordem do mestre.

 Alguns anos depois, o jovem , retornando sozinho àquela região, resolveu se dirigir ao sítio daquela família que lhes hospedara. Chegando lá, qual não foi o seu espanto quando verificou que o local havia mudado muito. O casal que vinha em sua direção era o mesmo, mas estava feliz. As crianças cresceram e, agora, já quase adolescentes, estavam bonitas, bem nutridas. Tudo havia passado e para melhor: horta, frutas, galinhas, animais diversos passeavam pelo sítio. O jovem, não acreditando no que via e ainda se sentindo culpado, questionou:

“- Como é possível vocês terem progredido tanto?!”

Ao que o casal respondeu:

 “- Quando vocês estiveram aqui a nossa situação não era das melhores. Tínhamos só uma vaca e toda a nossa sobrevivência vinha dela. Logo após a saída de vocês, aconteceu uma tragédia – nossa vaca caiu num precipício. Entramos em desespero, mas, daí em diante, tivemos que fazer outras coisas, desenvolver outros meios de sobrevivência. Descobrimos que a nossa terra era fértil e boa para legumes e frutas. Fomos, aos poucos, criando gosto e hoje é essa beleza que o senhor está vendo. Graças à perda da nossa vaquinha.“

 E você, tem alguma “vaquinha” te limitando?

Refletindo sobre o aprendizado, o jovem monge finalmente concluiu que existem certas coisas que adotamos como a única forma, (o que realmente não é) e que estas não valem tanto a pena, ainda mais quando nos dão apenas migalhas.

Sacrifícios são necessários quando a causa é extrema e pra que vale continuar plantando algo que só lhes dará migalhas como retorno?

Moral da história: Encontre sua vaca, e a empurre!

Pessoas com personalidades únicas são mais bem-sucedidas!

Se você tiver algo realmente valioso para oferecer ao mundo, isso se manifestara em sua própria personalidade, essa centelha única de divindade que nos coloca no caminho certo e nos torna diferentes de todas as outras criaturas vivas.
- Bruce Barton

Segundo a revista The Hollywood Report, 80% dos 70 mil atores sindicalizados nos estados Unidos ganham menos de 5 mil dólares por ano e apenas 3% ganham mais de 50 mil. Ao que tudo indica, o sucesso no cinema é mais difícil do que em qualquer outro ramo.

personalidadeSomente uns poucos atores se transformam em histórias de sucesso. Mas os que são bem-sucedidos nessa área têm salários que ultrapassam em muitos os de grandes nomes da indústria e do comercio. Os grandes astros e estrelas de Hollywood ganham bem mais de 100 milhões de dólares por ano.

Por que esses atores são mais bem remunerados que altos executivos? O que eles “vendem” que os outros profissionais não podem oferecer? A resposta é simples: personalidade. Os atores “vendem” suas personalidades únicas, que proporcionam experiências previsíveis e agradáveis aos consumidores.

Personalidade, segundo o dicionário Houaiiss, é o conjunto de características que distingue uma pessoa. Num mundo em que vendas e marketing predominam, a personalidade nunca sai de moda.

Milhões de dólares são gastos em pesquisas na “busca da personalidade”. As empresas querem saber mais a respeito da personalidade dos seus produtos, da personalidade da campanha publicitária mais recente e, claro, da personalidade de suas equipes de vendas e atendimentos.

Produtos que não tem personalidade fracassam, promoções sem personalidade não entusiasmam o consumidor; vendedores sem personalidade perdem negócios; e equipes de atendimento que não tem personalidade afastam o cliente.

Ao que parece, o marketing moderno se transformou num rosário de palavras que começam pela letra P: Produto, Preço, Ponto de vendas, Promoção, Pessoas e Personalidade. Então, qual seria um bom lema para quem trabalha em vendas? Simples: pessoas Persistentes e produtos Prazerosos produzem Prosperidade.

Os atores “vendem” suas personalidades únicas, que proporcionam experiências previsíveis e agradáveis aos consumidores.

Para vencer é preciso se apaixonar pelos seus sonhos!

Vencedores são Sonhadores Apaixonados

Gosto mais dos sonhos do futuro do que da história do passado
- Patrick Henry

apaixonados-por-sonhosComo mostram as histórias dos lideres empresariais extremamente bem-sucedidos, os sonhos precisam ser cheios de paixão para terem chance de se tornarem realidade. Tomemos como exemplo Herb Kelleher, cofundador e ex-presidente da Southwest Airlines, um visionário que criou a empresa área mais lucrativa dos Estados Unidos. Conhecido por sua personalidade intensa e por “meter a mão na massa”, Kelleher foi um grande modelo para seus funcionários. Enquanto seus concorrentes ficavam sentados atrás de mesas de mogno em escritórios luxuosos, ele frequentemente transportava as malas dos passageiros para os aviões, enchia copos com gelo enquanto as comissárias de bordo anotavam pedidos e entretinha os passageiros com seu senso de humor.

Que presidente de empresa aérea permitiria que suas funcionárias se vestissem de coelho da Páscoa e de peru no dia de Ação de Graças? Kelleher sabia que qualquer concorrente podia copiar o plano de negócios da Southwest, mas nenhum deles conseguiria reproduzir a paixão fervorosa que permeava a cultura da empresa. “Nosso pessoal é tão cheio de energia”, afirma ele, “que não poderia ser imitado.”

Mo Siegel, fundador da altamente bem-sucedida Celestial Seasonings Tea Company, bebeu da mesma fonte de paixão que Kelleher. Aos 21 anos, Siegel sonhava em ficar milionário antes de chegar aos 26, e , de sachê em sachê de chá, atingiu sua meta. Ele me contou como colhera pessoalmente as ervas que iriam compor seu primeiro chá de ervas saudável, o Mo’s 36 Heb Tea, e como expandiu rapidamente sua linha, incluindo o famoso Red Zinger. Siegel fez num carro velho suas primeiras viagens de vendas, visitando lojas e convencendo os donos a estocar seus chás a base de ervas. Ele mergulhou sua empresa no sonho de contribuir para um mundo melhor, dizendo: “Acreditamos que, para fazer deste mundo um lugar melhor para se viver, temos que nos dedicar totalmente à interminável busca da excelência.”

Vejamos também o caso de Michael Dell, que começou a montar  computadores no dormitório da universidade, partindo da ideia de desenvolver relações diretas com os clientes . Lembro-me de tê-lo entrevistado quando ele tinha apenas 27 anos e suas vendas eram de pouco mais de 2 bilhões de dólares anuais. Sua ilimitada curiosidade e sua capacidade de encarar cada oportunidade de negócios sob um ângulo diferente foram o que mais me surpreendeu.

Dell é um mestre na busca do aprimoramento incansável, invencível e continuo. Um de seus princípios-chave de administração é um programa de aperfeiçoamento no qual os funcionários são incentivados a tornar a empresa mais eficiente e próxima dos clientes e que dá aos indivíduos de cada equipe o controle sobre a implementação das próprias ideias. Em um documento interno intitulado “A Alma da Dell”, percebemos o enfoque na vitoria: “Somos apaixonados por vencer em tudo o que fazemos. Estamos comprometidos em manter a excelência operacional , satisfazer o cliente além de suas expectativas, liderar os mercados globais que atendemos, sermos conhecidos como uma grande empresa e um excelente lugar para trabalhar e proporcionar um valor excepcional para os acionistas ao longo do tempo”.

Sem se deixar perturbar pela longa sequencia de vitorias, o presidente dessa empresa multibilionária exibe uma eterna paixão por ir ainda mais longe: “Ainda há muito a ser feito.”